A historiografia brasileira e a deturpação marxista

02/05/2018

Quando falamos sobre ditaduras, sempre vem à cabeça da grande maioria o Governo Militar Brasileiro, que de ditadura mesmo não tinha quase nada. Quando analisamos grandes exemplos de ditaduras no âmbito internacional, imediatamente percebemos os governos socialistas como maiores representantes desse modelo de governo.

A historiografia nacional baseada nas falácias marxistas e a deturpação historiográfica mundial trazem para a população comum que o modelo ditatorial vem somente da direita, sendo que na verdade a liberdade advém do governo de direita. Para entendermos isso precisamos ir lá atrás no surgimento do molde de pesquisa historiográfica nacional. Toda produção nacional tem seu baseamento e divulgação através dos modelos de historiografia francês, que após a queda do modelo positivista que dominava a produção histórica foi suplantado pelo Marxismo Cultural. Após isso, esse modelo deturpado foi trazido ao nosso país e influenciou toda a nossa forma de se escrever a História.

Quando se realiza uma pesquisa nas bibliografias nacionais, é evidente a tentativa de desmerecer os grandes avanços de países que seguem moldes capitalistas e incentivar uma visão mais positiva dos modelos políticos de esquerda, como o socialismo e o fascismo, sim, que muito dito pelos esquerdistas que a direita é fascista, porém a ideia de controle e poder total de estado é um pensamento dividido tanto pelo socialismo tanto quanto pelo fascismo. Porém, o mais assustador é que temas relevantes da história mundial e nacional são completamente apagados ou deturpados pelos historiadores marxistas nacionais.

Peguemos como um grande exemplo dessa deturpação: a Primeira Guerra do Afeganistão. Muitos nem vão saber o que foi essa guerra, pois em muitos livros ela foi simplesmente omitida, agora, se eu falar sobre Guerra do Vietnã, com certeza absoluta a grande maioria ou até a totalidade das pessoas já ouviram falar e tem posição e conhecimento sobre esse fato.

Agora, o que foi a Primeira Guerra do Afeganistão?? Foi a invasão desse país por parte do exército soviético para tentar evitar a derrubada da dita República "Democrática" do Afeganistão, um governo de esquerda ditatorial e corrupto. A necessidade de manter as garras do comunismo em cima dos países que se encontravam ao seu redor e manter sua influência em todos os lugares possíveis, não era interessante perder esse aliado, então, numa intromissão óbvia em assuntos externos o governo soviético invadiu o Afeganistão, porém, a população afegã se uniu contra esse governo ditatorial já instaurado e contra essa intromissão externa e com suporte de países como os EUA expulsaram e humilharam as forças soviéticas que haviam invadido sua pátria.

Deixo aqui um texto bem interessante sobre a invasão do Afeganistão pelos soviéticos mostrando bem as relações sociais e administrativas antes e depois da invasão: A invasão Soviética no Afeganistão

A necessidade de esconder essa humilhação e os absurdos antidemocráticos cometidos pelos seus "heróis" socialistas fizeram com que os ditos "intelectuais de esquerda" (sendo que intelectual e de esquerda é algo impossível), escondessem ou simplesmente não ensinassem os fatos ocorridos assim focando na Guerra do Vietnã como forma de tentar destruir a imagem americana que para a esquerda é o demônio na terra. No fim a história é escrita ao bel prazer da esquerda nacional, deturpada, destruída e transformada em uma arma para desconstruir a realidade e criar um sentimento pró-socialismo e antidemocrático, onde se esconde os crimes e os abusos cometidos pelo socialismo mundial e transformando os governos criminosos e sanguinários de esquerdas em exemplos de governo e democracia.

A esquerda destrói o futuro da nação e a História em si, escondendo a verdade do povo e tentando transformar desde pequenas nossas crianças em seres acéfalas e sem nenhuma crítica de verdade, imputando a elas pensamentos retrógrados e criminosos, na tentativa de formar uma nação ditatorial e excluir os direitos do cidadão, tudo no intuito da dita "Revolução Socialista" e da "Liberdade do Povo", simplesmente as maiores falácias já imaginadas pelas mentes atrasadas da esquerda nacional.